Abobado

Archive for the ‘Raimundo Colombo’ tag

Governo de SC entregará equipamentos de proteção pessoal para mais de 14 mil policiais

leave a comment

Lançamentos dos editais para a compra dos kits está previsto para abril

Governador Raimundo Colombo anuncia pacote para segurança em Santa Catarina

Em 30 anos, é a primeira vez que todo o efetivo de policiais civis e militares de SC (hoje em 14,5 mil) ganhará equipamentos de proteção pessoal. É um dos investimentos na Segurança anunciados pelo governo, num montante de R$ 100 milhões. O lançamento dos editais para a compra dos kits, viaturas e aparelhos de videomonitoramento está previsto para abril.

Em cerimônia no Centro Administrativo e acompanhado de autoridades da SSP, o governador Raimundo Colombo assinou nesta quinta-feira editais que deverão ser lançados até o início do próximo mês em regime diferenciado de compras, ou seja, ganha quem apresentar o menor preço. O pacote de investimentos faz parte do Pacto por Santa Catarina, que prevê recursos de R$ 265 milhões para a área até 2014.

Nessa primeira etapa, os recursos serão usados na renovação da frota, incremento no sistema de videomonitoramento e na compra dos equipamentos de proteção para as polícias Civil e Militar e o Instituto Geral de Perícias (IGP). Cada kit contém um colete balístico, uma pistola calibre .40, uma tonfa (cassetete) e um par de algemas. O IGP vai receber 120 coletes balísticos para peritos que trabalham em locais de crime e 26 veículos.

— É um dia histórico para a segurança de Santa Catarina. Vencemos uma etapa importante, que é a burocracia, e já temos o dinheiro, a parte mais difícil. Santa Catarina pode ter orgulho do seu corpo de segurança —observou o governador.

Nesse cenário, Colombo citou como exemplo a renovação das 97 prisões dos suspeitos de envolvimento nos ataques criminosos ao Estado. Disse que foi um processo de qualidade, que mostrou eficiência. O inquérito é conduzido pela Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic).

O secretário da SSP César Grubba ressaltou a importância do investimento. “Nenhum policial deixará de ter seus equipamentos de segurança individual. Isso é inédito no país. Conseguimos vencer todas as barreiras e em breve esses equipamentos estarão chegando às unidades policiais”, disse.

Segurança desde a hora de sair de casa

O comandante da Polícia Militar, coronel Nazareno Marcineiro lembrou que a corporação fez uma modernização muito importante em tecnologia de gestão e metodologia de trabalho. E um dos itens deste processo é a compra dos kits de proteção. “Um policial, quando entra no serviço, traz de sua casa o colete e a arma. Significa que no trajeto ele já está seguro”, destacou Marcineiro.

Delegado-Geral de Polícia Civil, Aldo Pinheiro D´Ávila contou que em 22 anos de carreira nunca viu um investimento de tal porte. O diretor do IGP, Rodrigo Tasso também ressaltou o grande investimento no IGP. “Estamos dando qualidade aos servidores”, disse Tasso.

Não há ainda previsão de quais as regiões que serão beneficiadas com os novos veículos nem com as novos pontos de sistema de videomonitoramento. Os critérios para esta definição são os índices de criminalidade e a disposição dos municípios em fazer parcerias com o governo para instalação dos pontos.

O que está previsto
.10 mil kits de proteção individual — R$ 20 milhões
.1,6 mil veículos — R$ 70 milhões (SC terá 84% da frota com menos de cinco anos de uso)
.1 mil pontos de sistema de videomonitoramento em 100 municípios — R$ 10 milhões

Diário Catarinense

Santa Catarina: Colombo apresenta proposta e negociação com professores em greve evolui

one comment

Reunião na Casa d’Agronômica: Raimundo Colombo e Grupo Gestor apresentam proposta aos professores em greve da rede estadual

O governador de Santa Catarina, Raimundo Colombo, propôs ao comando de greve dos professores da rede estadual de Educação aumento da regência de classe de 17% para 20% e de 25% para 30% a partir de agosto. Em janeiro, a regência aumentaria de 25% para 40%, decompondo integralmente todas as gratificações.

Colombo prometeu ainda elevar a gratificação por aula excedente de 1,5% para 3,6% a partir de agosto e retornar ao patamar de 5% em janeiro de 2012.

A presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sinte), Alvete Bedin, disse que as negociações evoluiram bastante e que a proposta será analisada, agora, pelos docentes nas assembleias regionais e na estadual, prevista para esta quarta-feira, dia 6.

Raimundo Colombo decidiu reunir todo seu Grupo Gestor e os grevistas no fim da tarde deste domingo, na Casa d’Agronômica, em Florianópolis. A greve dos professores completa neste domingo 47 dias e a principal reivindicação é o aumento da regência de classe – uma gratificação sobre o salário-base. Diário Catarinense

Foto: Guto Kuerten/Agência RBS

Santa Catarina: Colombo deixa o DEM e parte para o PSD de Gilberto Kassab

leave a comment


Leia comunicado oficial de Raimundo Colombo

Nota à Sociedade Catarinense

Nas últimas eleições, os catarinenses deram mostras que desejam um Estado que sirva às pessoas em primeiro lugar. A mesma lógica deve servir para o Brasil.

As ruas têm apontado, com insistência, a necessidade de uma nova postura de seus dirigentes. Um comportamento que traduza as mudanças positivas que aconteceram em nossa sociedade nos últimos 20 anos. Esse amadurecimento da sociedade brasileira pede, também, uma renovação nas atitudes dos partidos e demais instituições políticas.

O momento pelo qual o Democratas de Santa Catarina atravessa é bom e vitorioso. Poderíamos, facilmente, nos acomodar sobre essa auspiciosa situação. Mas, quando a sociedade nos mostra a necessidade de um novo caminho de forma tão clara, homem público nenhum pode ignorar esse chamamento.

Por isso, buscamos, de todas as formas possíveis, sensibilizar os mais relevantes personagens políticos nacionais para, juntos, encontrarmos novos caminhos para responder a esses anseios da população brasileira.

As dificuldades que encontramos nesse percurso, nos levaram a formar forte convicção da necessidade de se construir um novo partido político no Brasil. Por isso, iniciamos agora, a mais extensa e abrangente consulta às nossas bases para, juntos, edificarmos os pilares desse novo momento em direção ao Partido Social Democrático, o PSD.

O que nos une, a partir de hoje, é o desafio de construir um projeto em sintonia com a sociedade de Santa Catarina e do Brasil.

Raimundo Colombo

Written by Abobado

maio 1st, 2011 at 11:53 pm

Opinião do Diário Catarinense: Mobilidade, já

one comment

Centro Administrativo do Governo de SC na Ilha: Por que não transferí-lo para área no Continente?

Os crônicos congestionamentos de trânsito, formando filas de veículos que se espraiam por dezenas de quilômetros, constituem um dos piores tormentos a que são submetidos os moradores das cidades de grande e médio porte do país. Além de ser obrigado a perder horas e horas deslocando-se de casa para o trabalho e vice-versa, o cidadão comum gasta, hoje, mais com transporte do que com alimentação, segundo recente levantamento do IBGE, que coloca o item em terceiro lugar na relação de gastos das famílias brasileiras. É neste quadro que avulta a importância da decisão tomada pelo governador Raimundo Colombo de mobilizar a administração estadual para buscar soluções, no curto e no médio prazo, para o grave problema de mobilidade urbana em Florianópolis e o seu entorno.

Com efeito, se as prefeituras dos municípios que compõem a região metropolitana precisam fazer suas partes, as principais definições hão de surgir de grandes decisões e de uma visão conjunta do problema, que é regional e, portanto, depende tanto de providências quanto de recursos estaduais. O governo já toca à frente algumas obras na Ilha de Santa Catarina. Mas é pouco, e não basta.

Chega de apenas nomear mais uma comissão ou contratar mais uma consultoria. Isto pouco ou nada resolveu até agora. Só empurrou o problema à frente “com a barriga”. O povo está farto de tudo isso. Quer soluções e as quer já. O governador entendeu o recado.

Um bom começo: Colombo visita São Lucas e anuncia construção de novo centro educacional

leave a comment

altSão Lucas: Governador caminhou durante cerca de uma hora entre as alas do centro educacional interditado

Nova instalação deve ser feita em terreno no município de Biguaçu

Durante cerca de uma hora o governador Raimundo Colombo participou de uma visita ao interditado Centro Educacional São Lucas, em São José, na Grande Florianópolis, e não gostou do que viu. Acompanhado pela juíza da Vara da Infância e Juventude do município, Ana Cristina Borba Alves, responsável pela interdição do local em dezembro de 2010, Colombo caminhou entre as alas do São Lucas por cerca de uma hora. Após a visita, o governador anunciou a construção de novas instalações para receber os adolescentes infratores.

[youtube=http://www.youtube.com/watch?v=yNEDwnoBkR0]

A nova sede do São Lucas será chamada Projeto CASE — Centro de Atendimento Socioeducativo da Grande Florianópolis. As instalações devem ser construídas em um terreno de cerca de 440 mil metros quadrados, na Estrada Geral da Estiva, no município de Biguaçu. O projeto está estimado em R$ 12 milhões, sendo que R$ 6 milhões virão do governo estadual e os outros R$ 6 milhões do ministério da Justiça, por meio de um convênio.

— Não há como recuperar jovens em um ambiente como aquele — disse Colombo, referindo-se ao atual prédio do São Lucas.

Antes de a nova sede ficar pronta, entretanto, a ideia é desinterditar parte do São Lucas. O centro educacional foi fechado há menos de um mês. Entre os motivos da interdição estavam as condições insalubres do prédio, denúncias de maus tratos contra os adolescentes e o não cumprimento das determinações de melhorias.

Também participaram da visita nesta segunda-feira o procurador geral do Estado, Nelson Antônio Serpa; o secretário de Segurança Pública, César Augusto Grubba; o secretário de Educação, Marco Antônio Tebaldi; o secretário de Assistência Social, Antônio Serafim Venzon; o secretário interino de Justiça e Cidadania, Coronel João Luiz Botelho e a futura secretária Justiça e Cidadania, a deputada estadual Ada de Luca. DC Online

Foto: Alan Pedro/DC

Crime eleitoral: Prefeito de Florianópolis diz que material de campanha apreendido em carro pela PRF era dele

leave a comment

dario_berger_e_a_treta_do_carro_oficial_apreendido_com_material_e_dinheiro_de_campanha_pela_prf

Dário Berger se justifica: E olha que esse cara já passou usou óleo de peroba pra caramba. Mentiroso!

O prefeito de Florianópolis Dário Berger (PMDB) falou nesta quarta-feira sobre a apreensão de propaganda eleitoral no porta-malas de um veículo oficial da prefeitura. Ele aguardou informações da ação policial para se manifestar sobre o episódio.

Após 48 horas, Dário deu detalhes sobre o que ocorreu na segunda-feira e antecipou que não vê irregularidade no transporte de adesivos e santinhos dos candidatos Luiz Henrique (PMDB) e Rose Berger (PMDB). Para ele, tudo não passa de uma ação "eleitoreira" dos adversários. Confira a entrevista exclusiva.

Diário Catarinense: O seu motorista Alcebíades Pires o levou ao Golden Hotel, onde o senhor pegou o helicóptero para Criciúma?
Dário Berger: Confere.
DC: O senhor retornou de Criciúma por volta das 14h?
Dário: Confere.
DC: Por que o Alcebíades não estava esperando o senhor?
Dário: Bem… é… porque o João Batista (vice-prefeito) estava me esperando. Ele precisava falar comigo.
DC: Como o senhor ficou sabendo da apreensão do carro?
Dário: Foi o meu assessor, o Silvio, me comunicou que o carro tinha sido apreendido.
DC: O senhor sabia do encontro do PR no hotel?
Dário: Não tinha conhecimento.
DC: Mas o João Batista não chegou a conversar com o senhor…
Dário: Não, não. E eu não tenho nada a ver com o PR.
DC: Quem teria interesse em fazer esse tipo de denúncia?
Dário: Aqueles que sempre fazem as denúncias. Eu não conheço outra pessoa que não seja ligada ao PP que até hoje me denunciou.
DC: Mas há quem diga que pode ter sido gente ligada ao ex-prefeito Fernando Elias…
Dário: Ah… pode ser também. Eu não posso afirmar.
DC: Mas o senhor tem informação de que alguém possa ter ligado para a polícia?
Dário: Não. O Silvio me informou que o carro tinha sido apreendido e que tinha um problema na placa de segurança. E, diga-se de passagem, não é a primeira vez que isso acontece conosco.
DC: Essa autorização venceu…
Dário: A impressão que dá é que nós fizemos uma placa fria, roubamos uma placa e a colocamos. Pelo contrário, a placa tem todo seu aparato jurídico, concedido por um órgão estadual de trânsito.
DC: O senhor pretende tomar alguma providência legal em relação ao Detran?
Dário: O próprio Detran, no ofício enviado para mim, cita no último parágrafo que trata-se de uma placa de segurança. É uma placa que vem desde 2005. Eu não coloquei essa placa para fazer campanha eleitoral.
DC: O senhor tinha conhecimento que havia propaganda no porta-malas do carro?
Dário: Sim. O fato de ter uma propaganda no porta-malas caracteriza que é para uso pessoal e não para distribuir com o carro oficial.
DC: Não dá a conotação de que estava ali para ser distribuída?
Dário: Claro que não. Eu nunca distribui adesivos das minhas candidaturas, quanto mais de outros.
DC: E a propaganda de Rose Berger? Isso não compromete?
Dário: Da candidata Rose Berger havia 10 santinhos e um jornalecozinho. O jornalzinho da Rose estava na calha da porta. Eu recebi na sinaleira, em frente ao Beiramar Shopping.
DC: E com relação ao dinheiro?
Dário: É uma quantia bastante insignificante.
DC: É R$ 1,8 mil, segundo a Polícia Rodoviária Federal?
Dário: Isso é uma quantia insignificante. Dá quanto almoços em uma churrascaria?
DC: Depende da churrascaria.
Dário: São recursos pessoais para o dia a dia. Não vou sair pegando dinheiro e pagando. Aliás, eu nunca paguei nenhum almoço com dinheiro da prefeitura.
DC: Então essa quantia pertence ao senhor?
Dário: O dinheiro é meu.
DC: E o Alcebíades chegou a relatar isso para a Polícia?
Dário: Eu não sei, não falei com o Alcebíades ainda. Ele está meio traumatizado (risos).
DC: Então ele tinha conhecimento de que havia propaganda no porta-malas?
Dário: Eu não tenho certeza se ele sabia, mas ele deveria saber.
DC: Diante dessa situação, que tipo de constrangimento causou para o senhor?
Dário: Isso causou um sensacionalismo absurdamente exagerado a respeito dessa situação.
DC: A polícia disse que era uma placa de segurança fria?
Dário: No inquérito, a Polícia Rodoviária Federal coloca para encaminhar como furto e o delegado federal coloca como veículo furtado. Isso está nos autos. O que é uma mentira condenável partindo de autoridades.
DC: O senhor está dando uma conotação política?
Dário: Mas é evidente. Alguém tem interesse de criar um sensacionalismo, de criar um fato político eleitoreiro para criar um constrangimento meu e sobretudo dos candidatos aos quais eu dou apoio.
DC: Quem tem interesse?
Dário: As apurações vão mostrar.
DC: Se o material estava no carro poderia ser distribuído?
Dário: Eu lá preciso de carro oficial para fazer campanha? A minha campanha eu faço no discurso.
DC: E o cidadão que paga impostos, como fica?
Dário: Eu não estou fazendo propaganda. Estou carregando meia dúzia de adesivos para meu uso pessoal. Não estou gastando mais gasolina. Não estou fazendo nada de irregular.

Perguntas e respostas sobre a apreensão do veículo oficial do prefeito

Carro oficial pode fazer o transporte de propaganda eleitoral?

A lei eleitoral proíbe que sejam usados em benefício de candidatos bens móveis ou imóveis que pertençam aos governos federais, estaduais ou municipais.

Quem investiga o caso?

O início das investigações precisa ser autorizado pelo juiz eleitoral de Biguaçu Jaime Pedro Bunn. Se autorizar ele, as investigações serão feitas Polícia Federal (PF).

Quem deve ser ouvido?

O promotor eleitoral de Biguaçu, Aurélio Giacomelli da Silva, pediu que fossem os candidatos Raimundo Colombo (DEM), Luiz Henrique da Silveira (PMDB), Rose Berger (PMDB), que figuram nos materiais de campanha apreendidos. Também quer que sejam ouvidos representantes da coligação, da prefeitura de Florianópolis e do Detran-SC, para esclarecer a questão das placas.

O que é uma placa de segurança?

É utilizada para que o veículo oficial não seja caracterizado como oficial. No caso, o órgão público solicita o Detran uma placa convencional, cinza, para substituir a de veículo oficial, branca. O Detran avalia a situação antes de aprovar e dá um prazo para utilização.

Qual a situação da placa de segurança usada no veículo apreendido?

O Detran autorizou o uso da placa de segurança no veículo do gabinete de prefeito em 26 de setembro de 2005. Deu um ano de validade para o uso da placa. Ou seja, desde o final de setembro de 2006, a placa vinha sendo usada irregularmente.

Além de vencida, a placa era falsificada?

Não. Houve uma confusão na hora em que o policial foi consultar os dados da placa, digitou YD e não LYD e vieram dados de outro carro. Ou seja: era vencida mas não era falsificada. A placa utilizada no carro oficial era LYD 9458. Foi digitado YD 9458 e veio o registro de um Fiat 147 roubado no Rio de Janeiro, conforme atesta documento do Detran-SC.

O que foi apreendido

– 92 cédulas de R$ 20, totalizando R$ 1.840
– Uma cédula de R$ 10
– Material de campanha de Raimundo Colombo (DEM), candidato ao governo, e Luiz Henrique da Silveira (PMDB), ao Senado
– 10 peças de material de campanha da candidata à deputada estadual Rose Berger (PMDB), ex-mulher de Dário Berger
– Um folheto da campanha de Rose Berger (PMDB) à deputada estadual
– Duas placas de automóvel (as oficiais originais do veículo)
– Cinco folhas soltas da agenda do prefeito Dário Berger, dos dias 9, 10 e 13 de fevereiro de 2010
– Dois celulares
– Um giroflex (luz semelhante à utilizada em carros de polícia)

ClicRBS

Santa Catarina: Liminar garante que Eduardo Pinho Moreira seja candidato a vice-governador

leave a comment

blog_06_07_2010_eduardo_pinho_moreira_pmdb_santa_catarinaPinho Moreira: Só mesmo na terra do vale tudo o PMDB trai o próprio PMDB. Coisa de doido!

Cúpula nacional do PMDB já havia decidido pela desfiliação do político

Cinco dias após a executiva do PMDB suspender a filiação de Eduardo Pinho Moreira do partido, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) tornou sem efeito a decisão da cúpula peemedebista. Liminar concedida na segunda-feira pelo ministro Ricardo Lewandowski, em Brasília, garante a indicação do dirigente catarinense para vice de Raimundo Colombo (DEM) na disputa pelo governo estadual.

Na ação, Pinho Moreira reclamava não ter tido direito a ampla defesa. Para os advogados do peemedebista, tampouco cabia à executiva nacional deliberar sobre uma eventual expulsão e, sim, à estadual.

Como a decisão do ministro suspende integralmente os efeitos do ato aprovado na última quarta-feira, Pinho Moreira poderia reivindicar o retorno à presidência do diretório catarinense, hoje nas mãos do deputado João Matos. No entanto, o advogado Eduardo Alckmin garante que, para Pinho Moreira, o comando do PMDB em Santa Catarina está em segundo plano neste momento.

— Estamos focados na questão da filiação partidária, que estava afligindo o presidente Pinho Moreira — afirmou.

Retaliação

A direção do PMDB pretende recorrer da liminar nos próximos dias. Contudo, os caciques peemedebistas descartam acelerar o processo para destituir os dirigentes locais. A medida foi articulada pelo presidente do PMDB, Michel Temer, em retaliação à quebra da promessa de Pinho Moreira. O dirigente havia garantido a Temer um segundo palanque em Santa Catarina para a candidata do PT à Presidência, Dilma Rousseff.

— O processo de intervenção continuará no ritmo normal — garantiu um interlocutor do presidente do PMDB, Michel Temer. ClicRBS

Written by Abobado

julho 6th, 2010 at 2:47 pm

Opinião do Estadão: Multas de trânsito parceladas

leave a comment

O parcelamento de multas aumenta a arrecadação e possibilita a regularização de diversas pendências

A Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) do Senado aprovou, em caráter terminativo, o Projeto de Lei 20/10, do senador Raimundo Colombo (DEM-SC), que propõe o parcelamento de multas de trânsito em até seis vezes. A justificativa para esse benefício é o alto valor de algumas das multas estabelecidas pelo Código de Trânsito Brasileiro (CTB), que variam de R$ 53,20, para infrações leves, a R$ 191,54, para as de natureza gravíssima. Cada valor pode ser multiplicado até por cinco, conforme a gravidade da infração.

Segundo o relator da matéria, senador Álvaro Dias (PSDB-PR), se em tese o valor das multas estimula os motoristas a cumprirem a lei, na prática, a impossibilidade de quitar de uma só vez débitos acumulados tem levado uma grande parcela dos infratores à inadimplência, o que faz crescer a frota irregular que roda nas cidades e estradas.

O processo de licenciamento anual e obrigatório do veículo não pode ser feito enquanto houver multas pendentes. Se circular sem a regularização da documentação, o proprietário terá o veículo apreendido. Nesse caso, o pagamento das multas também é exigência para a liberação do veículo. E, se a dívida não for quitada em 90 dias, ele vai a leilão.

Leia mais aqui.

Sujou: Pressionado, PMDB catarinense decide desembarcar do palanque do democrata Colombo

leave a comment

Cacalhada: Existe coisa mais nojenta do que a política de Santa Catarina? Tamos bem pra caramba!

Luiz Henrique disse que a ameaça de intervenção é um desrespeito ao diretório estadual

Ameaçado de intervenção pela executiva nacional, o comando do PMDB em Santa Catarina recuou e decidiu desembarcar do palanque de Raimundo Colombo (DEM).

Após um dia tenso e repleto de reuniões em Brasília, os dirigentes decidiram apresentar como alternativa os nomes do deputado Mauro Mariani e do ex-governador Paulo Afonso como pré-candidatos à disputa pelo governo estadual.

A solução foi costurada pelos líderes catarinenses em razão da pressão do presidente nacional do PMDB, Michel Temer (SP), para que o partido cumprisse com o acordo firmado, há duas semanas, com a ex-ministra Dilma Rousseff (PT).

Na ocasião, Eduardo Pinho Moreira se comprometeu com Temer a garantir um segundo palanque para a candidata petista em Santa Catarina. Pela manhã, Temer convocou seu grupo político para intimidar a comitiva catarinense. Escudado por Renan Calheiros (AL) e Romero Jucá (RR), o candidato a vice-presidente na chapa de Dilma cobrou uma posição definitiva sobre o imbróglio no Estado.

A portas fechadas, em uma sala da residência oficial do presidente da Câmara, os catarinenses tentaram se justificar. Para desfazer a impressão de que teria traído Temer ao rasgar o compromisso de ceder o palanque peemedebista para Dilma, Pinho Moreira reclamou que a senadora Ideli Salvatti (PT) não havia garantido um eventual apoio a ele no segundo turno. Dizendo-se isolado, explicou que não teve outra saída a não ser abrir mão da candidatura.

Apesar do tom impassível, Temer rebateu Pinho Moreira. O presidente da Câmara cobrou um aviso prévio à direção nacional, postura que poderia resultar em uma mobilização dos dirigentes, a exemplo do que havia ocorrido em Minas e no Maranhão.

— Agora, é preciso garantir o compromisso assumido com o PT. Não há condições de haver retrocesso nas negociações — ameaça.

Respaldado pelos caciques do partido, Temer avisou que, para evitar a destituição da executiva estadual, ou o PMDB retomava a candidatura própria ou se mantinha neutro na disputa estadual. Principal artífice da aliança com Colombo, Luiz Henrique levantou a voz e desafiou o presidente da Câmara.

— Essa imposição é um desrespeito ao PMDB catarinense. Se é assim, também tem de haver intervenção no Rio Grande do Sul e no Mato Grosso — advertiu o ex-governador, referindo-se a outros Estado onde o PMDB resiste em seguir a orientação da cúpula nacional. ClicRBS

Leia mais aqui.

Política em Santa Catarina: A contaminação inevitável

leave a comment

Santa Catarina e a polialiança: No estado do vale-tudo, um governo safado e descompromissado com o cidadão

Blog do Canga

Com chegada dos EUA do presidente estadual dos Demos, Raimundo Colombo, e seu incondicional apoio ao meliante Leonel Pavan, estaria montado o bloco dos gangsters para o próximo carnaval?

A pecha de corrupto e ladrão que já vinha grudada no governador Luiz Henrique do "partido que gosta de roubar" (PMDB) é agora reforçada pela perfomance do tucano Leonel Pavan.

Luiz Henrique praticou suas pequenas e grandes tungas mas sem meter muito a mão na graxa. No máximo o seus acólitos apareciam em festas em zonas de Joinville e outras pequenas baixarias.

Já os tucanos sofisticaram as ações do grupo partindo para altos vôos que incluíam muito dinheiro e lances cinematográficos de pistolagem e gangsterismo.

Correndo por fora, os Demos de Raimundo Colombo a tudo assistiam mas se mantinham enquadrados no clássico figurino de não dar bandeira e, claro, não meter (toda) a mão na merda. Estavam passando esses quase oito anos de polialiança incólumes frente aos grandes escândalos protagonizados por Luiz Henrique e seus asseclas.

As apostas eram de que os democratas se blindariam e achariam uma forma de não se deixar contaminar pelas estripulias de Pavan e LHS. Raimundo Colombo, asséptico, surgia como candidato natural dos Demos pra disputar o governo do estado. Ele mesmo, pessoalmente não teria nada a perder pois ainda tem mais quatro anos de Senado.

Foto: editada e publicada por Sérgio Rubim

Leia mais aqui.

Written by Abobado

janeiro 19th, 2010 at 2:40 pm