Abobado

De novo o incompetente Fernando Haddad: Procurador da República quer anulação do Enem 2011

leave a comment

O procurador da República no Ceará Oscar Costa Filho vai solicitar nesta quarta-feira ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) a anulação de 14 questões do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2011. O motivo: dias antes da avaliação federal, uma escola particular de Fortaleza teria aplicado um simulado com questões similares às do Enem. As fotos das questões foram postadas nas redes sociais.

Leia mais sobre o assunto:
Como recorrer à Justiça em caso de falha no Enem

Procurador avisou que estaria de olho no Enem 2011

“As imagens são provas irrefutáveis de que houve desequilíbrio no exame, favorecendo uns poucos e prejudicando milhões”, diz o procurador. “No momento, a preocupação não é descobrir como as questões foram parar no simulado da escola, mas, sim, evitar que o exame seja desigual.”

De acordo com o procurador, caso o Inep se recuse a anular as questões, o Ministério Público Federal no Ceará dará início a um processo judicial exigindo a anulação das perguntas e até a suspensão do Enem 2011. “Sempre que foram identificados problemas na aplicação do Enem, o Inep e o Ministério da Educação (MEC) relativizam o problema e jogam a poeira para debaixo do tapete. Esperamos que, desta vez, a atitude seja diferente”, diz.

Costa Filho é figura conhecida nas batalhas judiciais envolvendo o Enem. Em 2010, ele conseguiu que o exame fosse suspenso temporariamente. Neste ano, tão logo o edital do exame foi publicado, o procurador ajuizou uma ação civil pública solicitando que os estudantes tivessem acesso à correção da prova de redação e pudessem contestar as notas atribuídas pelo Inep. Veja Online

Compare nas imagens as lambanças promovidas por esse incompetente ministro da Educação que quer ser prefeito da maior cidade da América do Sul.

A parte com fundo branco é a que consta do caderno do Enem. A em azul é o simulado aplicado pela escola particular de Fortaleza.

Leave a Reply