Abobado

Archive for agosto, 2010

Dilma: Loading…

leave a comment

Dilma tenta explicar detalhes de seu programa de atendimento especial a crianças em hospitais, caso eleita presidenta do Brasil. Observem a facilidade que a candidata tem de expressar suas ideias. E é na mão dessa gente que o povo brasileiro pode colocar o destino do nosso país.

Sinceramente, o Brasil merece coisa muito melhor!

Segue parte da fala da candidata. É de doer!
Uma das propostas que conjuga, assim, não só, né?, tecnologia de ponta, tecnologia sofisticada para o tratamento da criança, mas também tem um grande nível de humanização, porque eles usam todo o…, toda aquela questão do envolvimento da criança, mostrando que a boneca vai, tamém (sic), cuidar da cabeça, ou, quando a criança é submetida a algum nível de tratamento mais estressante, tomar o cuidado para garantir que, psicologicamente, ela se, enfim, ela tenha um, uma chegada maior a um processo que inclusive é de dor.

Written by Abobado

agosto 30th, 2010 at 10:49 pm

Enem 2010: TRF suspende liminar e retira gráfica de licitação

leave a comment

Fernando Haddad, da Educação: Só num governo ordinário como esse um bobalhão incompetente continua ministro

Em decisão divulgada nesta segunda-feira, 30, o Tribunal Regional Federal (TRF) da Primeira Região suspendeu a liminar que mantinha a gráfica Plural no processo licitatório do Enem 2010. Em 18 de agosto, havia sido concedida a liminar que determinava o prosseguimento da empresa no processo de habilitação para a impressão das provas. A decisão cabe recurso.

O desembargador federal Fagundes de Deus considerou que a Plural não cumpriu as regras do edital e, assim sendo, “impõe-se a inabilitação da concorrente”. Para ele, a gráfica não apresentou “atestados de capacidade técnica capazes de atestar o desempenho de atividade pertinente e compatível com o objeto licitado”. “Considero legítimo o ato administrativo que a inabilitou do certame em questão”, afirmou na decisão.

O vazamento da prova do Enem 2009, revelado pelo Estado, ocorreu nas instalações da Plural, na região metropolitana de São Paulo. Em nota publicada no início do mês, a empresa diz que "não responde por qualquer demanda judicial em relação ao vazamento da prova do Enem 2009" e que cabia ao consórcio Connasel "garantir a segurança e executar todas as atividades de manuseio, empacotamento, rotulagem e transporte das provas".

No dia 3 de agosto, a juíza federal substituta da 2ª Vara do Distrito Federal, Candice Lavocat Galvão Jobim, havia decidido suspender o pregão eletrônico para o serviço de impressão das provas do Enem 2010. A Plural, uma das empresas que ofereceram proposta para a impressão do exame, impetrou mandado de segurança, com pedido de liminar, contra decisão do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) que a considerou inabilitada para o serviço.

A Plural alega que apresentou o preço mais baixo para a impressão (R$ 65 milhões) e foi desclassificada antes de ter a sua instalação conferida. Estadão Online

Leia mais aqui.

Parabéns Justiça brasileira: Dez anos após crime, assassino Pimenta Neves continua solto

one comment

Hoje faz dez anos que a jornalista Sandra Gomide foi assassinada pelo jornalista Antônio Marcos Pimenta Neves, 73, seu ex-namorado. Pimenta matou Sandra com dois tiros pelas costas no dia 20 de agosto de 2000 e confessou o crime quatro dias depois.

Condenado por um júri popular a 19 anos de prisão em maio de 2006, Pimenta teve a pena reduzida para 15 anos e conseguiu continuar solto apresentando sucessivos recursos a tribunais superiores.

O caso hoje está nas mãos do ministro Celso de Mello, do STF (Supremo Tribunal Federal). Os advogados de Pimenta querem que o julgamento seja anulado por questões formais. O pedido foi rejeitado pelo STJ (Superior Tribunal de Justiça) e eles recorreram ao Supremo.

A defesa alega que a formulação dos quesitos induziu a resposta dos jurados. A advogada Maria José da Costa Ferreira cita como exemplo disso o não reconhecimento da confissão do crime.

"O réu que confessa um crime é beneficiado, inclusive com a redução da pena. E um dos quesitos que foram indagados ao júri era esse. E eles disseram que não havia nenhuma atenuante. Isso é reconhecido até mesmo pela imprensa, que noticia a todo momento que ele confessou o crime", disse ela.

Na época do crime, Pimenta era diretor de redação do jornal "O Estado de S. Paulo", onde Sandra trabalhou como repórter e editora até ser demitida por ele, um mês antes do assassinato. Ela tinha 32 anos quando foi morta.

Pimenta ficou preso em caráter preventivo por cerca de sete meses logo após o crime. Foi solto por habeas corpus concedido pelo STF. Vive recluso em sua casa em São Paulo e não dá entrevistas.

O Tribunal de Justiça de São Paulo confirmou a sentença que condenou o jornalista em primeira instância e mandou prendê-lo no fim de 2006, mas Pimenta recorreu.

Embora o jornalista seja réu confesso, a ministra do STJ Maria Thereza de Assis Moura revogou a ordem de prisão invocando o princípio que presume a inocência de toda pessoa que não tiver sofrido condenação definitiva. Folha Online

Leia mais aqui.

Sérgio Cabral chama menino de “otário e sacana” e Lula se preocupa com “prejuízo político”

one comment

A cena acima é o retrato de como o governador do Rio de Janeiro trata o povo da periferia, a coices e ofensas de quinta categoria, o que justifica sua política de segurança belicosa e atabalhoada. E do lado, Lula preocupado com as repercussões políticas. Lamentável! Esse menino (de nome Leandro) merecia um curso de jornalismo e um estágio na área, porque atuando como atuou, ele já ensinou boa parte da imprensa, lotada de repórteres bajuladores, que com a verdade não se brinca.

O jovem fez questões pertinentes, denunciou o que acontece em quase todos os centros esportivos de periferia: o abandono. O povo fica impossibilitado de usar os espaços ou porque eles ficam fechados ou porque marginais tomam conta destes lugares (marginais que viram objeto de estudo e admiração de antropólogo rastaquera!)

Ao ser interpelado sobre a questão da quadra (de tênis) ficar fechada e o povo não poder usar a piscina, Lula mandou um aliado colocar guardas no centro esportivo, porque, caso a imprensa filmasse o lugar fechado, daria prejuízo político. Ora, presidente, por que não se cala? A quadra aberta é um direito da população. O que tinha que ter nestes centros é planejamento e uma administração que proporcionasse segurança e formação esportiva para as crianças.

Quando Lula falou dos seguranças – para inglês ver e o prejuízo político não bater à porta – o garoto foi genial: “Já me basta o Caveirão todo dia na minha porta!“. Daí o governador bradou suas pérolas preconceituosas de que na rua do garoto havia tráfico. Ora, como ele sabe?

A questão é simples. O governador Sérgio Cabral é daquele tipo de energúmeno que acha que todo bairro pobre é infestado de bandido. Mais adiante o governador, mostrando o seu baixo nível e o seu preconceito lorpa, disse que o garoto é sacana e que era para ele usar sua inteligência para estudar. O garoto foi genial de novo: “Sacana, não, tenho nome, meu nome é Leandro”!

Nesse momento Leandro deveria de ter sido veemente e dito:

Governador, o senhor não pode falar comigo desta maneira, são os impostos dos meus pais que pagam seu salário, eu estudo todo dia, estou exercendo meu direito de cidadão e estou a reclamar, com toda coragem e respeito – coisa que o senhor não tem – os direitos da população, e os senhores deveriam estar orgulhosos de um jovem que procura reivindicar, acertada ou erradamente, seus direitos, ao invés de estar no crime. Governador, o senhor me ofendeu, se eu levá-lo à justiça, o senhor terá sérios problemas. E mais: o prejuízo político já está evidente, foi plantado por sua virulência verbal e o Brasil está de testemunha. Aliás, o que vossa senhoria tem feito para evitar que jovens, como eu, não caiam nas garras do crime? O seu governo tem gerado emprego, cursos profissionalizantes para jovens de periferia ou os tem tratado como o senhor me trata, como sacanas? O senhor disse que na minha rua tem gente andando com fuzil, eu pergunto, senhor governador: de onde vêm esses fuzis? Por que a polícia que o senhor comanda permite que as armas entrem nas favelas? Em virtude disso, como o senhor e o presidente querem que confiemos na polícia? O que o senhor tem feito para combater a corrupção na polícia carioca? O que o presidente tem feito para impedir que drogas entrem no país? E digo mais, senhor governador: o senhor me chamou de sacana, mas quem sustenta a atividade do tráfico são os integrantes da classe média alta – a qual o senhor pertence – que consomem a droga. O senhor ao invés de me mandar estudar deveria saber se seus filhos – ou os amigos deles – não estão nas baladas noturnas do Rio de Janeiro entupindo as narinas de drogas, porque o fato de eu estudar ou não, é problema, a princípio, da minha mãe, não seu. E mais: por que o pobre não entra na universidade pública se ela é sustentada com o dinheiro dos impostos pagos pelos pobres? E por que os reitores permitem que estudantes usem drogas dentro das universidades? Quando os consumidores de drogas – estudantes, pobres, ricos, governadores ou garis – vão assumir que são culpados pelas chacinas causadas pelo narcotráfico?

Evidente que o garoto não ia conseguir realizar essa profusão de perguntas, até porque esse tiranete de governador não ia ouvi-lo. Mas indo até onde foi, o garoto foi bem. O que se espera depois desse vídeo é que apareçam jornalistas com coragem e façam essas questões ao governador do Rio de Janeiro, nas sabatinas, nos debates etc.

Essas questões deveriam ser feitas corriqueiramente por todos os jornalistas, principalmente, jornalistas independentes que não têm rabo preso com candidaturas e núcleos de interesse, sorrateiros. Que todos os cidadãos façam o mesmo que o Leandro, daí, todos os políticos, como o Lula, teriam medo do prejuízo eleitoral e tratariam os pobres como cidadãos e não como sacanas e gado, como fazem determinados governadores almofadinhas.

Por André Henrique – Via Política

Written by Abobado

agosto 19th, 2010 at 11:57 am

Mais um rolo: Novo trapiche da Beira-Mar Norte, em Florianópolis, custará R$ 1 milhão

leave a comment

Trapiche da Beira-Mar Norte: Se o valor é de 1 milhão, podem acreditar que tá superfaturado

Local privilegiará visitantes e pescadores que usam principalmente redes de tarrafas

Na próxima semana começam as obras do novo trapiche da avenida Beira-Mar Norte em Florianópolis. As estacas em concreto estão sendo produzidas em uma empresa de pré-moldados na Ponte de Imaruim, em Palhoça. Com custo de R$ 1 milhão, o novo trapiche terá 5m30cm de largura e 61m80cm de comprimento. Pouco maior do que o antigo, interditado por falta de segurança em 2006.

O local, um dos pontos turísticos da Ilha de Santa Catarina, privilegiará visitantes e pescadores que usam principalmente redes de tarrafa. A previsão é de que seja entregue ao público no final de outubro. Mesmo que a revitalização da via não esteja totalmente concluída.

Capacidade

A capacidade é para receber simultaneamente três embarcações com cerca de 70 toneladas cada. A prefeitura promete uma infraestrutura adequada para o local.

— O projeto inclui proteção metálica para evitar a ação da maresia e iluminação cênica nos moldes da que existe na Ponte Colombo Salles — diz o secretário de Obras Luiz Américo.

Sobre o preço da obra, que teve custo divulgado na imprensa em R$ 4 milhões, o secretário diz:

— Desconhecemos a fonte da informação. Se custasse R$ 2 milhões já seria caro — sugere.

A nova estrutura faz parte das obras de revitalização da Beira-Mar Norte, que teve um custo inicial estimado em R$ 7,5 milhões. Mas o valor total passou para R$ 9 milhões, sendo R$ 6 milhões da Celesc e R$ 3 milhões da prefeitura. ClicRBS

Foto: Júlio Cavalheiro – DC

Leia mais aqui.

Written by Abobado

agosto 18th, 2010 at 10:26 pm

A mentira histórica contada por Dilma no debate Folha/UOL

leave a comment

Pinóquio invertido: O nariz da ‘boneca do Paraguai’ agora encolhe toda vez que ela mente. Vai faltar cara

“Aprovamos o Plano Real e, mais do que isso, levamos à frente e o utilizamos de forma adequada”.

De quem é a frase? Da petista Dilma Rousseff no debate da Folha/UOL. Caso Serra dissesse uma flagrante mentira, dessas escandalosas, contra todas as evidências dos fatos, contra a história, contra o modo como se organizou a política de 1994 a esta data, o jornalismo online estaria noticiando a mentira em letras garrafais. Amanhã, os colunistas isentos fariam a festa no jornalismo impresso.

A mentira grotesca contada por Dilma ficará por isso mesmo. O Plano Real não se resumiu a uma ou duas medidas. Tratou-se de um conjunto. O PT se opôs a todas, a rigorosamente todas, em especial ao plano de estímulo à reestruturação dos bancos, o Proer, que garantiu a saúde do sistema financeiro brasileiro e foi fundamental para assegurar a estabilidade da moeda. Só para lembrar: a reestruturação custou o fim do Banco Nacional, de que netos de FHC eram herdeiros. É isto: FHC chegou ao poder com netos herdeiros de bancos (sua então nora era da família Magalhães Pinto, que controlava a instituição); quando saiu, aqueles mesmos netos eram, como a maioria de nós,  do MSB, o Movimento dos Sem-Banco.

Nota à margem: a família Lula da Silva deu mais sorte. O patriarca chegou ao poder, e um de seus filhos era monitor de jardim zoológico. Hoje, o mesmo filho, Lulinha, é o dono da Gamecorp, aquela empresa que recebeu uma generosa injeção de dinheiro da então Telemar, hoje Oi, de que o BNDES era e é sócio. A história do “movimento operário” nestepaiz é realmente muito linda!!!

Adiante. O PT afirmava que o Proer não passava de mamata para banqueiros — e com o endosso de setores do jornalismo; aqueles mesmos que se calarão, agora, diante da mentira contada por Dilma.

O partido se opôs ao Plano Real, sim, tanto que fez a campanha eleitoral de 1994 tentando demonstrar os malefícios todos que ele causaria ao Brasil. E passou os oito anos seguintes tentando sabotar a estabilidade.

No máximo, a petista poderia dizer que seu partido “aprovou” o Real depois que estava no poder, sem jamais reconhecê-lo. Ao contrário. Teve lugar o discurso no qual ela navega até hoje: “Nunca antes na história destepaiz”.

É impressionante que a mentira seja dita de modo tão explícito, tão escancarado, e que a reação seja praticamente nenhuma. Mas vá Serra lançar no ar um dado impreciso que seja… Vira manchete. De novo: isso nada tem a ver com as minhas afinidades com esse ou com aquele. Contentem-me demonstrando quem é que está dando destaque à mentira histórica.

Ora, se o PT tivesse aprovado o Plano Real, a clivagem que hoje existe na política brasileira não teria como seus principais protagonistas o PT e o PSDB. Sem essa! Depois de ter tentado apagar da memória do país as conquistas dos adversários, os petistas agora tentam roubá-las.

Por Reinaldo Azevedo

Written by Abobado

agosto 18th, 2010 at 8:10 pm

Opinião do Estadão: Um plano em execução

leave a comment

blog_18_08_2010_cabides

O caos nos principais aeroportos brasileiros registrado no início do mês, por causa da mudança do sistema de escala das tripulações da Gol, bem como o ocorrido no fim do ano passado, em decorrência da adoção de um novo sistema de check-in pela TAM, deixaram claras a incompetência operacional da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e sua incapacidade de evitar colapsos como o ocorrido.

Mas a Anac é apenas um exemplo de como, por meio de asfixia financeira, de nomeações de dirigentes sem as qualificações técnicas necessárias para exercer o cargo e até de redução de responsabilidades, o governo Lula vem esvaziando as agências reguladoras, na execução daquilo que tem todas as características de um plano preconcebido.

Agências imunes aos interesses políticos do governo são incompatíveis com a política petista de açambarcamento do Estado Nacional. Por isso, desde o início deste governo, boa parte das verbas orçamentárias das agências vem sendo retida pelo Tesouro Nacional, a pretexto de assegurar o cumprimento das metas de superávit fiscal. No ano passado – como mostrou o Estado na segunda-feira, em reportagem de Renée Pereira – o contingenciamento dessas verbas atingiu um nível recorde.

Deixaram de ser repassados às agências nada menos do que 85,7% das receitas totais a que elas tinham direito, o que tornou impossível a realização de serviços essenciais, especialmente os de fiscalização. Esse número foi levantado pela Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base (Abdib), com base em dados do Tesouro Nacional.

Criadas para regular e fiscalizar a prestação de serviços públicos por empresas privadas ou estatais, as agências são órgãos do Estado brasileiro, que não deveriam estar subordinados ao governo. Por isso, não estão vinculadas à estrutura dos Ministérios e, assim, não deviam receber ordens do presidente da República, de ministros ou de outros funcionários do Executivo. Para exercer sua função, devem dispor de autonomia financeira, administrativa e operacional, além de amplos poderes de fiscalização e de liberdade para impor sanções.

Mas, com o contingenciamento das suas verbas, o Executivo limita drasticamente a sua capacidade de atuação. Em 2009, por exemplo, a Anac só dispôs de R$ 20 milhões para garantir a operação da aviação civil de acordo com os padrões internacionais de qualidade e segurança. Em 2010, foram autorizados para essa função R$ 34 milhões, mas R$ 10 milhões foram contingenciados.

Leia mais aqui.

Written by Abobado

agosto 18th, 2010 at 9:49 am

Farinha do mesmo saco: Datafolha também faz parte da conspiração para eleger Dilma

leave a comment

Por Lúcio Neto
 
É preciso voltar um pouco ao passado para entender o presente. O passado nos mostrava o candidato Zé Serra com uma aceitação em torno de 45% antes mesmo de se lançar candidato. Já a candidata Dilma oscilava na faixa dos vinte a trinta e poucos por cento.
 
A partir do momento em que foi anunciada a sua candidatura ele caiu em queda livre em todas as pesquisas até chegar às vésperas da estréia do horário eleitoral com este último resultado da pesquisa Datafolha 33% x 41%.
 
Vamos analisar esse fato atípico. Aqui cabem várias perguntas:

– Será que o eleitor brasileiro queria Zé Serra apenas como promessa de ser candidato?
– Por que deixar de votar nele a partir do momento em que foi anunciada oficialmente a sua candidatura?
– Será que de uma hora para outra o eleitor entendeu que ele não tinha as melhores credenciais para ser presidente do Brasil?
– Que escândalos prejudicaram a imagem do Zé Serra no período?
– Será que o eleitor não aprovou a sua performance no debate da Band?
– Que fatos negativos marcaram a imagem do Zé Serra nesse período?
– Será que ele foi muito mal na entrevista do Jornal Nacional?

Em contraponto, a candidata petista sobe mais do que balão inflado. Por que?

– Será que o eleitor reconheceu que o passado de guerrilheira da candidata é um ponto positivo em seu currículo?
– Será que o eleitor não viu nada demais no escândalo dos aloprados petistas do Lago Sul que foram pegos com a mão na botija produzindo mais um dossiê contra o Zé Serra?
– E o escândalo da quebra do sigilo fiscal do Eduardo Jorge, vice-presidente do PSDB, foi considerado pelo eleitor como um fato normal?
– Será que o eleitor não entendeu o significado da denúncia do vice do Zé Serra, Índio da Costa, sobre as ligações do PT com as Farc, uma organização criminosa que mata, rouba, sequestra e faz tráfico de drogas?
– E o plano de governo da candidata apresentado ao TSE com todos aqueles temas polêmicos como aborto, censura à mídia e etc.,?
– E o debate da Band? A candidata Dilma deu um show? E teve também uma excepcional participação na entrevista do Jornal Nacional?

O pano desce rápido. Vamos para outra cena também no passado.

Chuva de releases petistas veiculados em espaços generosos na mídia, apontavam para um desempenho extraordinário da candidata petista e faziam previsão de uma virada até meados de agosto, nas proximidades do início do horário eleitoral. Contavam que aos poucos, a petista estava derrubando mitos do Zé Serra como a sua liderança no Sul do país e em São Paulo. A virada em Minas Gerais, terra do Aécio Neves, era tida como certa.

Novamente o pano desce. Vamos para um análise atemporal.

Esse cenário esboçado pela central da campanha da candidata petista tem como aliada, praticamente, toda a mídia brasileira e para torná-lo crível aos olhos do eleitor adicione o elemento surpresa: os institutos de pesquisas.
 
A estratégia foi bem planejada e demorou um pouco para a ficha cair. Dois institutos, Sensus e Vox Populi, saíram na frente trombeteando resultados favoráveis à Dilma. O Ibope manteve-se numa posição intermediária com resultados favoráveis à candidata petista de uma forma mais discreta. O Datafolha fez o papel de bom moço. Suas pesquisas diziam que os demais estavam exagerando. Não é bem isso. Vamos com calma.

Tudo, mas tudo mesmo, religiosamente bem organizado e planejado. E não poderia ser diferente com tanta grana bancando esses serviços de manipulação da verdade.
 
E, finalmente, chegou o momento da grande virada como previsto pelo comitê central da petista. Os três, Ibope, Sensus e Vox, uma semana antes se alinharam nos seus percentuais. Em campo, o Datafolha preparava o complemento dessa farsa e anuncia de forma bombástica que Dilma está a três pontos de ganhar o jogo no primeiro turno.
 
Heresia maior do que essa é acreditar que Colgate é o único creme dental recomendado por todos os dentistas.

Manchetes pipocaram para tentar consolidar a conspiração:

"Pesquisa aponta que Serra caiu nos Estados que mais visitou"

"Dilma evita salto alto e diz que pesquisa mostra que campanha está em bom caminho"

O que eles querem dizer é que a campanha do Zé Serra é igual a caranguejo, ou seja, anda para trás. Quanto mais fatos positivos ele cria, quanto mais gente visita, quanto mais viaja, quanto mais palestras para associações e grupos ele faz, mais os seus índices de aceitação vão pro brejo da cruz.
 
Já a da Dilma é um mar de prosperidade. Ela é a galinha dos ovos de ouro. Suas palavras "gagas" soam como canto de sereias aos ouvidos dos "Ulisses" espalhados nos mais diferentes rincões do país. O Brasil inteiro se rende aos encantos de uma candidata que com a sua varinha mágica de condão vai conquistando milhões de eleitores que se prendem à calda majestosa de seu vestido de rainha. O seu desempenho é tão fantástico, tão extraordinário que nem mesmo Lula chegou nem perto de performance igual.

Isso, chama-se CONSPIRAÇÃO. Poderosos grupos de comunicação e empresas que apóiam essa conspiração estão brincando com fogo. E quem brinca com fogo está sujeito a queimar-se.
 
Aproveito para recomendar dois artigos: um escrito por Bia Barbosa da Carta Maior " As trombetas anunciam perigo à vista!" e o outro "Casa de Maribondo" do jornalista Carlos Chagas.
 
E aqui, nós vamos provar para você mais uma vez, que também essa pesquisa do Datafolha foi grosseiramente manipulada. O Datafolha deu uma de guardião da verdade apenas para reforçar a tese da conspiração. Agora, com esse resultado, alia-se aos demais, na tentativa de consolidar uma pretensa verdade só expressa em números manipulados.
 
Vamos aos dados. Antes, veja o que o Datafolha promete no seu Plano Amostral registrado no TSE:

"A amostra é estratificada por região geográfica, Unidade da Federação, e natureza (capital, outros municípios da região metropolitana ou interior) dos municípios. Em cada estrato, num primeiro estágio, são sorteados os municípios que farão parte do levantamento. Num segundo estágio, são sorteados os pontos de abordagem onde serão aplicadas as entrevistas. Por fim, os entrevistados são selecionados aleatoriamente para responder ao questionário, de acordo com cotas de sexo e faixa etária."

É o mesmo que o juramento de um médico:
PROMETO:
Que ao exercer a arte de curar, me mostrarei
Sempre fiel aos preceitos da honestidade,
Da caridade e da ciência. Penetrando
No interior dos lares, meus olhos serão
Cegos, minha língua calará os segredos
Que me forem revelados os quais terei
Como preceito de honra; nunca me servirei
Da minha profissão para corromper
Os costumes ou favorecer o crime.
Se eu cumprir este juramento com
Fidelidade, goze eu a minha vida e a minha
Arte com a boa reputação entre os homens
E para sempre; se dele me afastar
Ou infringir suceda-me o contrário.

Mas, hoje, a mentira ficou tão banalizada que poucos profissionais cumprem o que prometeram nos seus juramentos solenes.

Acompanhe quadro a quadro como se faz para se servir de uma profissão e corromper os costumes para favorecer o crime da manipulação da verdade.

No total, foram ouvidos 10.856 eleitores em 382 municípios. A nossa soma geral de municípios que você vai ver no Resumo/BR, totaliza 370 porque deixamos de computar cidades administradas pelo PV e algumas, não todas, do PTB, porque não tivemos como confirmar a qual dos dois candidatos estavam coligadas nos Estados.
Vamos apresentar inicialmente os mapas por região, depois os destaques estaduais e na seqüência, comparativos por região e destaques estaduais com a pesquisa do Ibope.

Nesta região a Dilma teria supostamente 8.317.817 votos contra 6.383.441 votos do Zé Serra. Foram visitadas 33 cidades, sendo 23 do PT ou de partidos coligados contra apenas 8 do PSDB ou coligados.


 

 
Na Região Nordeste, Dilma, a sereia, supostamente teria 17.684.750 votos contra apenas 9.022.831. Foram visitadas 108 cidades tendo o "sorteio" escolhido 83 cidades do PT ou de partidos coligados e somente 25 do PSDB ou de partidos coligados. No nosso entendimento, esta Região ocupa destaque na estratégia da conspiração. Eles vão querer compensar resultados do Sul e São Paulo para manter Dilma na dianteira e assim distânciá-la do Zé Serra.


 

Aqui os estrategistas perderam a vergonha completamente. Para colocar Dilma na frente, eles sumiram com grande parte dos votos de Zé Serra em São Paulo, aumentaram a diferença no Rio de Janeiro e descolaram a petista em Minas. E para isso, nem precisa de calculadora científica. A Dilma ficou com 21.594.725 votos e Zé Serra com apenas 20.427.443 votos. Vá observando que o que eles fazem são intervenções cirúrgicas de alta precisão. Foram visitadas 134 cidades, sendo 93 do PT ou coligados e apenas 41 do PSDB ou coligados.

 


 

 

O bolo dessa região eles deixaram para comer mais tarde. Aí seria demais e nem sapo à beira da lagoa iria sapear. O Zé Serra supostamente tem 8.237.506 votos e Dilma 6.831.103 votos. Foram visitadas 98 cidades sendo 79 do PT ou de coligados e apenas 19 do PSDB ou de coligados.


 

Veja o Resumo/BR

Que belo cenário para uma manipulação, não? De 370 cidades visitadas escolhidas por "sorteio" 278 são do PT ou de coligados e apenas 92 do PSDB ou coligados. Esse suposto resultado de 41% para Dilma e 33% para o Zé Serra está ancorado nele.


 

 

Vamos analisar agora alguns destaques estaduais, estados que o Datafolha entrevistou mais eleitores. A seguir vem a Bahia.

Parece que os Orixás baianos escolheram Dilma e o Datafolha consultou os búzios para dar 4.584.431 votos para a petista e somente 2.483.233 votos para Zé Serra. Os búzios também sorriram para a petista na escolha por "sorteio" das cidades. De 44 visitadas 35 são do PT ou coligados e apenas 9 do PSDB ou coligados.


No Estado de Pernambuco, terra de Jesus Lula Cristo, a pesquisa do Datafolha não economizou nada. Generosos 55 pontos percentuais foram concedidos à ungida de Jesus, batizada nas águas do rio Capibaribe. E de 38 cidades visitadas 29 foram do PT ou coligados contra só 9 do PSDB ou coligados. Traduzindo em votos Dilma teria 3.442.917 e Zé Serra 1.377.167 votos.


No Estado do Rio de Janeiro, foram visitadas 28 cidades sendo 23 do PT ou partidos coligados e apenas 5 do PSDB ou partidos coligados. E assim a fada Dilma passou para 41% de aprovação e o Zé Serra apenas 25%. Dilma teria então 4.751.802 votos e Zé Serra 2.897.440. E não pensem que vai ficar. A varinha mágica da Dilma vai atrair mais votos ainda.


Por enquanto está sendo mantida a vantagem do Zé Serra. Mas, é provisório. O Zé Serra teria supostamente 3.116.636 e a Dilma 2.584.528. Das 46 cidades visitadas 35 foram do PT ou coligados e somente 11 do PSDB ou coligados.


A vantagem da Dilma em Minas, não é apenas uma questão de votos, é antes de tudo, uma questão moral. É para desestabilizar mesmo ou tentar. Minas, é a terra do Aécio Neves todo mundo sabe. E lá ele manda no terreiro e canta de galo mesmo. Mas, a varinha mágica da fada Dilma faz milagres e o Datafolha sabe disso. Foi lá e sapecou 41% para Dilma contra 38% do Zé Serra. O mineirinho, matutando e fumando o seu cigarrinho de palha deve ter pensado:
– Uai, sor! Cadê os vortos do Zé?

Pois é. O "sorteio" escolheu apenas 12 cidades do PSDB ou coligados contra 40 do PT ou coligados dentre as 52 visitadas.


Eles adiaram mais um pouquinho a ultrapassagem da Dilma sobre o Zé Serra em São Paulo. Já deram uma justificativa. Desvincularam a campanha estadual da campanha presidencial. Eu já comentei isso aqui. Só assim é possível justificar nas próximas pesquisas uma suposta vantagem da Dilma sobre o Serra. Eles vão continuar com Alckmin na dianteira. O Lula não gosta de Mercadante. Ele é candidato não falta de outro. O número de cidades do PSDB e coligados foi o mais alto dentre todos os Estados, mesmo assim o "sorteio" ainda favoreceu o PT.


No Rio Grande do Sul faltou óleo de peroba para a cara pau da turma, tchê. De 44 cidades visitadas 40 foram "sorteadas" para o PT ou coligadas e apenas 4 para o PSDB ou coligados. Não é para menos que a Dilma tenha crescido no RS e Zé Serra encolhido.


Vamos passar para uma análise comparativa entre a pesquisa do Datafolha e a do Ibope. Você vai notar que a estratégia da conspiração é a mesma: o cenário criado por "sorteio". Incialmente, por região.

Na pesquisa do Datafolha o PT e coligados ficaram com 23 cidades e o PSDB e coligados apenas 8. Na do Ibope foram 17 para o PT e coligados e apenas 7 para o PSDB ou coligados.Vá observando esses números e comparando com os percentuais de cada.


Placar das cidades definidas por "sorteio" na Região Nordeste pelo Datafolha: 83 PT ou coligados e somente 25 PSDB ou coligados. No Ibope 38 x 9.


93 cidades do PT ou coligados contra apenas 41 do PSDB ou coligados na do Datafolha. Já o Ibope não deixou por menos "sorteou" 53 para o PT e coligados e 18 para o PSDB e coligados.


O PT ficou com 79 cidades no "sorteio" e o PSDB com apenas 19 na pesquisa do Datafolha. No Ibope o sorteio apontou o placar de 24 para o PT e apenas 5 para o PSDB.


Destacamos agora alguns Estados, sem os percentuais, porque o Datafolha não divulgou.

 

Na Bahia foram 35 cidades para o PT e coligados pelo "sorteio" do Datafolha e somente 9 para o PSDB e coligados. O Ibope "sorteou" 8 cidades para o PT e apenas 3 para o PSDB ou coligados.


Na terra de Jesus, o Datafolha cravou por "sorteio" 29 cidades para o PT ou coligados e apenas 9 para o PSDB. O Ibope, para não ficar atrás e não irritar um Deus, já havia escolhido 7 para o PT e coligados e apenas 2 para o PSDB ou coligados.


Para não perder os encantos cariocas, o cenário criado por ambos os institutos é bem original. No Datafolha foram 23 para o PT e coligados e somente 5 para o PSDB e coligados. E o Ibope escolheu por "sorteio" 13 cidades do PT e coligados contra apenas 1 do PSDB ou coligados.


40 para o PT e coligados e somente 12 para p PSDB ou coligados no Datafolha em Minas. Ibope, por "sorteio" escolheu 15 cidades para o PT e somente 3 para o PSDB ou coligados.


No Rio Grande do Sul foi vergonhoso. O Datafolha escolheu 40 cidades do PT e coligados e apenas 4 do PSDB e coligados.

O Ibope escolheu 13 cidades do PT e coligados e NENHUMA do PSDB ou coligados.
É aquela história da fila do sorvete no shopping. Chega um elemento com uma prancheta e pergunta:
– O que você faz aqui?
– Vou tomar sorvete.
– E você?
– Vou comprar um sorvete.
– E o senhor?
– Também.
– A senhora?
– Idem.

Deu pra entender? É uma simples questão de cenário. Você cria o cenário para o resultado que o freguês desejar.


Em São Paulo, o Datafolha escolheu 26 cidades do PT conta 22 do PSDB e o Ibope 22 para o PT e 14 do PSDB. Eles estão alterando aos poucos o resultado de São Paulo porque aqui não é fácil maquiar resultados.


Eu concordo com a posição do candidato Zé Serra quando ele diz que não comenta pesquisas. Ele está correto. Quem tem que comentar pesquisas é o presidente do PSDB, partido líder da coligação, e coordenador da campanha tucana, senador Sérgio Guerra. A mim não convence ele dizer que o resultado foi desfavorável porque a entrevista do Zé Serra no Jornal Nacional não foi avaliada pela pesquisa.

Eu tenho a impressão que o senador ainda não se deu conta de que estamos numa guerra. E o inimigo não brinca em serviço. Ele é profissional. E não tem meio termo para atingir os seus objetivos.

Esse assunto pesquisa está aqui comprovado que é uma manipulação que objetiva favorecer a candidata Dilma do PT. É um crime tipificado na Lei de Defesa do Consumidor artigos 36 e 66 e da Lei 5047/01. É propaganda subliminar e o consumidor está sendo enganado pela divulgação de números falsos e com isso estaria sendo induzido a votar nesta candidata ou mesmo estaria sendo projetado um resultado futuro tendo em vista a fragilidade da segurança do nosso sistema de votação.

Vejam acima a comprovação. Em que lei da probabilidade esses dois institutos de pesquisas se basearam para, através de um sorteio, escolherem a maioria de cidades petistas ou de coligados? Tem algum matemático online para me responder?

É por isso que digo que DATAFOLHA, IBOPE, SENSUS, VOX POPULI são farinha do mesmo saco. Fazem parte de uma conspiração. Se o PSDB não tomar as devidas providências agora, a situação vai piorar ainda mais.

Não pensem que o horário eleitoral vai reverter a situação porque não vai. Não é questão de convencer o eleitor. O eleitor está convencido, mas pode mudar de opinião pela influência das pesquisas. A questão é de convencer as autoridades de que um crime está sendo cometido.

Clique para acessar a relação de cidades.

Written by Abobado

agosto 17th, 2010 at 1:23 am

Caso Sakineh Ashtiani: Irã questiona oferta de asilo e diz que Brasil quer “abrigar criminosos”

leave a comment

O governo do Irã questionou nesta segunda-feira as "consequências" da oferta brasileira de asilar uma iraniana condenada à morte por apedrejamento, e perguntou se o "Brasil precisará ter um local para criminosos de outros países", em uma nota emitida por sua embaixada em Brasília.

"Em relação à presença ou ao exílio [da condenada] Sakineh Mohamadi no Brasil, é necessário considerar alguns pontos e questões significativas. Quais são as consequências desse tipo de tratamento aos criminosos e assassinos?", questiona o governo do Irã em seu comunicado.

"Esse ato não promoverá e não incitará criminosos a praticar crimes?", completou.

"Será que a sociedade brasileira e o Brasil precisarão ter, no futuro, um lugar para os criminosos de outros países em seu território?", questionou.

Brasil e Irã trocaram várias mensagens nas últimas semanas pelo caso de Sakineh Mohamadi Ashtiani, 43 anos, mãe de dois filhos, condenada à morte por apedrejamento no Irã por adultério e também acusada de homicídio.

Sua sentença causou comoção em todo o mundo e levou o presidente Luiz Inácio Lula da Silva, que mantém um diálogo aberto com o Irã, a oferecer asilo no Brasil.

"Se minha amizade e respeito que tenho pelo presidente do Irã (Mahmoud Ahmadinejad) e pelo povo iraniano valem algo, se essa mulher causa mal-estar, poderíamos recebê-la no Brasil", disse Lula.

O Irã, através de porta-vozes oficiais, descartou aceitar a oferta, e depois disse que o Brasil não teria feito um pedido formal para receber a mulher, ponto que foi negado pelo chanceler Celso Amorim.

Segundo a nota divulgada nesta segunda-feira, o Irã "considera as declarações e o chamado" de Lula "um pedido de um país amigo", que atribuiu a "sentimentos puramente humanitários" do presidente brasileiro. Folha Online

Leia mais aqui.

Opinião do Estadão: A desmoralização do Enem

leave a comment

Incompetência na Educação: Lula e seu ursinho de pelúcia, Fernando Haddad, ministro da Educação

Os fatos não confirmam as repetidas declarações do presidente Lula de que o ministro da Educação, Fernando Haddad, é um dos mais competentes membros de sua equipe. O vazamento dos dados pessoais de 12 milhões de alunos que se submeteram às três últimas edições do Enem é mais uma confirmação de que pouca coisa funciona bem na área de educação. Informações que deveriam ser mantidas em sigilo foram expostas no site do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep) com acesso livre.

Trata-se de falha grave. Em primeiro lugar, porque resultou no desrespeito ao direito à inviolabilidade de informações pessoais previsto pela Constituição, no capítulo das garantias fundamentais, e em uma violação das leis que disciplinam a segurança no processamento de dados pessoais em órgãos públicos. E, em segundo lugar, porque o episódio expõe os alunos a investidas de criminosos, uma vez que os dados vazados constituem um verdadeiro maná de informações para estelionatários e até sequestradores. Com o CPF, o RG e os nomes dos pais de uma pessoa é possível a prática de uma série de delitos – da confecção de documentos falsos à abertura de empresas fictícias e contas bancárias. “O criminoso comete os crimes, mas consegue ficar com o nome limpo, enquanto o estudante que prestou o Enem pode ficar com o nome sujo”, diz o delegado Eduardo Gobetti, do Deic.

Como o regulamento do Enem é taxativo, comprometendo-se a resguardar o sigilo das informações sobre os candidatos, o vazamento é a pá de cal na desmoralização daquele que já foi um dos mais respeitados mecanismos de avaliação escolar do País. Decorrentes da inépcia do MEC, os primeiros problemas do Enem começaram em 2009, com as dificuldades enfrentadas pelos candidatos para se inscrever pela internet no Sistema de Seleção Unificada (Sisu), que permite usar as notas do exame no vestibular das universidades federais.

Leia mais aqui.

Written by Abobado

agosto 7th, 2010 at 9:33 am