Abobado

Archive for abril 24th, 2009

Operação Satiagraha: Procurador emite parecer contra pedido do Opportunity para afastar juiz

leave a comment

Procurador Rodrigo De Grandis (de óculos): Até quando esse menino vai suportar tanta pressão. Muita luz pra ele!

A tentativa dos advogados do Grupo Opportunity de afastar o juiz Fausto De Sanctis do comando da Operação Satiagraha ainda não ganhou força. O procurador da República Rodrigo de Grandis – que acompanha a investigação sobre os supostos crimes financeiros do banqueiro Daniel Dantas, do Opportunity – emitiu parecer contrário ao pedido da defesa.

No parecer, o procurador afirma que “não há motivos para a suspeição” em relação ao trabalho de De Sanctis, porque, entre uma série de fatores, a defesa não conseguiu comprovar, por exemplo, ligação dele com amigo íntimo ou inimigo capital de qualquer das partes; ou qualquer aconselhamento a uma das partes. Folha Online

Leis mais aqui.

Written by Abobado

abril 24th, 2009 at 1:41 pm

Santa Catarina – Jorginho decide extinguir verba indenizatória

leave a comment

Jorginho Mello (destaque) em coletiva: Tira com uma mão e dá com a outra. Explica mas não convence

O presidente da Assembleia Legislativa, Jorginho Mello (PSDB), anunciou nesta quinta-feira a extinção da chamada verba indenizatória e do limite de R$ 38 mil usado para o custeio dos gabinetes parlamentares.

Ao mesmo tempo em que tenta dar transparência a uma questão que considera "mal compreendida" pela imprensa e pela sociedade, Mello não estipula novos limites para a manutenção dos gabinetes: a partir de agora a Assembleia pagará todas as despesas relacionadas ao mandato. O teto de gastos para cada um dos 40 deputados será o bom senso, explicou ele em entrevista coletiva.

— Aqui na Assembleia nunca teve essa verba indenizatória, muito menos de R$ 38 mil como estão falando. É uma grande confusão, queremos clarear isso. Nós vamos eliminar esses R$ 38 mil, mas vamos cobrir a despesa do deputado, dar condições para ele exercer o seu mandato — afirmou.

A verba de gabinete era usada para custear despesas como telefone, diárias, correio, papel, passagens, gasolina. O deputado "gerenciava" sua própria verba até o valor de R$ 38 mil e apresentava as faturas para o setor financeiro da Casa pagar. ClicRBS

Leia mais aqui.